Outros Serviços


Bloco Operatório

Diretora do Serviço

Cristina Carmona

Enfermeira Chefe

Josefina Granadeiro


Localização: Torre Sintra, Piso 2

Enfermeiroa Chefe

Antonieta Bacelar

Contactos do Serviço

maria.a.bacelar@hff.min-saude.pt

Missão:

Assegurar a recolha, processamento e distribuição aos Serviços clínicos de todos Dispositivos reutilizáveis, com necessidade de uso estéril, segundo as Boas Práticas.

Valores:

  • Estabelecer o controlo de infecção nos Serviços Clínicos do HFF, tratando os DM´s;
  • Esterilizar;
  • Regular os processos, inovando metodologias;
  • Laborando 24 horas;
  • Investindo na competência dos nossos Colaboradores;
  • Zelando pela melhoria contínua;
  • Acionando medidas de desempenho;
  • Controlando os resultados e desenvolvendo;
  • Ações corretivas;
  • Optimizando as necessidades dos Clientes.

Visão:

A Central de Esterilização pretende ser uma referência através do cumprimento das orientações dos requisitos legais e normativos.

A Enfermeira Chefe, em conjunto com todos os Colaboradores, compromete-se a cumprir os requisitos da norma de referência, NP EN ISO 9001 e acreditação de CHKS, através de uma política permanente de Monitorização e Melhoria Contínua da Qualidade.

Áreas funcionais

Sala de Descontaminação: O que se faz?

Recepção e Triagem

  • A recepção dos diversos Dispositivos Médicos, DM’s reutilizáveis contaminados;
  • A verificação de faltas;
  • A identificação e distribuição dos DM´s de acordo com o processo de tratamento -lavagem – a realizar;
  • D M ‘s identificados pelos serviços como contaminados são os últimos a serem processados.

Lavagem

  • A remoção da sujidade visível bem como a sujidade “invisível”, preparando os diversos DM´s para o manuseamento seguro;
  • A preparação dos DM´s para o processo de desinfecção e posterior esterilização;

Sala Limpos: O que se faz?

Área de ensaio/funcionalidade

  • São recepcionados os DM´s que saem das máquinas de lavar/ desinfectar com barreira sanitária, assim como aqueles DM´s lavados manualmente e na tina ultra sónica.
  • Desenvolvem-se, nesta área, as tarefas de ensaio: verificação de deficiente limpeza, da funcionalidade e estado de conservação, de lubrificação, da necessidade de reparação e/ou inutilizações.

Área de empacotamento

  • Acondicionar os DM´s em embalagens de acordo com as suas características, segundo o método de esterilização a que se destinam.
  • O empacotamento destina-se a proteger o Dispositivo Médico durante o processo de esterilização, garantindo a esterilidade do mesmo, quer durante o seu armazenamento quer no transporte, até ao momento da sua utilização.

Sala de Esterilizados – Armazém

  • Esta sala destina-se a receber as cargas esterilizadas após verificação e inspecção de cada instrumental/DM;
  • Depois são enviadas para os serviços utilizadores;
  • O espaço de armazenamento deve permitir a segurança do pessoal, a protecção dos DM´s estéreis contra danos e contaminação, boa visibilidade de localização e a eficiência da distribuição.
  • As condições ambientais deste Armazém, sala de embalagens estéreis devem ser documentadas e controladas periodicamente.

Distribuição de DM´s

O transporte dos DM’s, quer contaminado, quer processado é da responsabilidade do DCE, que define e exige o cumprimento dos requisitos de segurança.

Por isso, a recolha e o transporte dos DM´s contaminados devem ser rigidamente controlados, para reduzir os riscos biológicos. Por exemplo: o transporte deve ser realizado em carros fechados. A existência de carros abertos exige a utilização de contentores hermeticamente fechados.

Diretor(a) do Serviço

Ana Cristina Monteiro

Enfermeiro(a) Chefe

Fátima Assuda