Doenças provocadas pelo vício do cigarro

As pessoas fumadoras têm um risco de adoecer e morrer por doenças graves e incapacitantes duas a três vezes superior ao das pessoas que nunca fumaram, perdendo em média dez anos de expetativa potencial de vida.

Segundo a Organização Mundial da Saúde, o consumo de tabaco, na Europa, é responsável por um milhão e 200 mil mortes anuais, número que tende a ascender aos dois milhões.

Em Portugal, o consumo de tabaco atinge cerca de 20 a 26% da população, com predomínio de três homens e meio para cada mulher.

O tabagismo causa um grande prejuízo à saúde pública, já que é responsável pela diminuição da qualidade e duração de vida.

Tem ainda a agravante de ser um fator de risco não apenas para o fumador, mas para todos aqueles que se encontram frequentemente expostos ao fumo passivo.

Os fumadores apresentam, em maior ou menor grau:

  • Perturbações nervosas e sensoriais;
  • Alterações respiratórias e circulatórias;
  • Pele seca e com rugas;
  • Dentes amarelos.

Vários tipos de cancro estão associados ao consumo do tabaco, assim como as bronquites, as úlceras e as doenças cardiovasculares.

Cancro

  • Cancro do pulmão;
  • Cancro da cavidade oral (lábios, boca, língua), laringe e faringe;
  • Cancro do esófago;
  • Cancro do pâncreas;
  • Cancro da bexiga e rins;
  • Cancro do colo do útero.

Doenças Cardiovasculares

  • Cardiopatia isquémica;
  • Doença vascular periférica (arteriosclerose);
  • Doença cerebrovascular (AVC).

Outras doenças

  • Doenças hormonais (menopausa precoce, osteoporose);
  • Doenças respiratórias (bronquite crónica, enfisema e asma);
  • Doenças gastrointestinais (doença de refluxo gastro-esofágico, úlcera péptica).

Doenças agravadas pelo tabaco

  • Asma,
  • Pneumonias;
  • Constipações.

Além destas doenças, o tabagismo pode ainda atrasar a conceção e durante a gravidez prejudicar o feto. O tabagismo materno durante a gravidez pode afetar a médio prazo o desenvolvimento físico e inteletual da criança.

Nas crianças em idade escolar, a exposição ao fumo do tabaco provoca sintomas respiratórios e nas crianças asmáticas, as crises podem ser mais frequentes e graves.

Parar de fumar diminui o risco de várias das doenças descritas. Os ex-fumadores vivem em média mais anos do que os fumadores e reduzem o risco de virem a sofrer de uma doença cardiovascular, de cancro ou de doenças respiratórias.