Voluntariado

O voluntário é um indivíduo que, de forma livre, desinteressada e gratuita se compromete com as suas características pessoais e valores, dedicando uma parte do seu tempo a realizar ações coordenadas de voluntariado no âmbito do Hospital.

Formação

Ao voluntário será ministrada Formação adequada por forma a dotá-lo dos instrumentos e conhecimentos adequados a um bom desempenho. A sua atividade será objeto de um acompanhamento permanente, pela capelania e pelos profissionais do Serviço, por forma a sentir-se seguro e integrado no trabalho em equipa.

Contactos

Voluntariado (Serviço Religioso/Capelania):
E- mail: capelania@hff.min-saude.pt
Tlf: 214348200 (extensão 1145)

Processo de admissão e seleção

  • O candidato ao Voluntariado deverá apresentar-se no Serviço Religioso (Capelania) de Terça a Sexta das 9h30 às 16h00 para uma entrevista de pré seleção que tem em conta a residência, disponibilidade e perfil para ser voluntário;
  • Após esta seleção o candidato preenche os impressos de candidatura e apresenta os documentos e fotos solicitadas;
  • O candidato é encaminhado para uma entrevista com a Psicóloga;
  • Sendo aprovado e com todo o processo organizado é convocado para iniciar o voluntariado e respetiva formação.

Requisitos do Voluntariado

  • Disponibilidade de tempo;
  • Pontualidade;
  • Assiduidade;
  • Gosto pela tarefa que desempenhará;
  • Sentido de responsabilidade;
  • Respeito pelos outros;
  • Capacidade e vocação para ajudar, ouvindo pacientemente os problemas ou pedidos dos doentes/acompanhantes, ser recetivo, ser discreto na abordagem aos doentes e acompanhantes e deve manter o sigilo eticamente obrigatório.

Confiança dos doentes e do Hospital

Para a promoção duma integral e absoluta confiança do Hospital no voluntário, este, deve ter por princípio:

  • Não procurar o acesso a processos clínicos ou diagnósticos dos doentes;
  • Não forçar conversas ou questionar sempre que o doente não quiser colaborar;
  • Não forçar a realização de atividades se esse não for o desejo do doente;
  • Não se servir da posição de voluntário para qualquer tipo de regalias ou prestígios;
  • Não dar presentes, dinheiro ou objetos aos doentes sem autorização;
  • Não mostrar preferência por qualquer doente;
  • Respeitar os coordenadores profissionais em serviço e sempre trabalhando em equipa.