HFF é parceiro do projeto ‘PAC – WOMAN’, que incentiva mulheres com cancro de mama  a ter estilos de vida saudáveis  

4 Fevereiro, 2022

Financiado pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT), em colaboração com o Centro Hospitalar Lisboa Norte, EPE e com o Hospital Professor Doutor Fernando Fonseca, EPE, ‘PAC-Woman’ trata-se de um projeto científico direcionado a mulheres com cancro de mama, atualmente em terapia hormonal, e desenvolvido com o objetivo principal de promover e ajudar a integrar, nas suas vidas, a prática de exercício físico e estilos de vida mais saudáveis.

Em fase de recrutamento, as mulheres participantes vão integrar, por sorteio, um de quatro grupos, e serão avaliadas no início e final desta intervenção e no final do período de seguimento. ‘Programa de Aconselhamento para a Atividade Física’; ‘Programa de Exercício Estruturado’; ‘Programa Combinado’ e ‘Grupo Mundo Real’ são os quatro grupos criados.

O projeto ‘PAC-Woman’ será dinamizado em grupo, por profissionais de exercício qualificados, apoiados por uma equipa multidisciplinar, que inclui médicos e médicas de diferentes especialidades e psicólogos/as.

O estudo inclui um programa de intervenção de 4 meses e um período de seguimento, sem intervenção, de 12 meses. Este seguimento ajudará a perceber se os benefícios se mantêm.

“Pretende-se, desta forma, ajudar a promover estilos de vida mais saudáveis e uma melhor qualidade de vida junto de mulheres com cancro de mama. O projeto ‘PAC-Woman’ é uma oportunidade de usufruírem de um programa pioneiro e de forma gratuita”, destaca Marina Vitorino, médica interna de Oncologia Médica no Serviço de Oncologia do HFF.

A promoção da prática de exercício físico assume-se como principal ferramenta.

“Entre tantos outros benefícios, a investigação tem demonstrado que a prática de atividade física ajuda a reduzir os efeitos secundários dos tratamentos como a dor articular e alterações do peso corporal”, frisa ainda a responsável.

Todos os objetivos a que o projeto de ‘PAC-Woman’ se propõe tem por base “a melhor evidência científica”.

“O projeto tem na sua base o uso de estratégias motivacionais testadas e alinhadas com as mais recentes diretrizes para a prática de exercício em doentes oncológicos”, conclui Marina Vitorino.