Dar sangue é seguro, rápido, eficaz e pode salvar vidas

25 Janeiro, 2022

Neste mês de janeiro, Miguel Bigotte Vieira deu sangue pela primeira vez, mas, quando questionado, afirma que esta não foi uma resolução de Ano Novo. “Todos os dias são bons para tomarmos este tipo de decisões e eu já poderia tê-lo feito há mais anos”, afirma, pouco depois de se tornar dador de sangue no Serviço de Sangue e Medicina Transfusional (SSMT) do Hospital Professor Doutor Fernando Fonseca (HFF) e de fazer a sua primeira dádiva.

Tal como explica, o que o motivou a ser dador foi o facto de saber que o número de dádivas de sangue tem vindo a diminuir e que há necessidade de haver reservas nos hospitais.

Médico nefrologista em outra instituição hospitalar, Miguel Bigotte Vieira refere que o processo foi rápido e simples, desde o momento da marcação, até à altura da dádiva. “Foi fácil agendar. Não precisei de esperar que atendessem a chamada. Foi só marcar a data e responder às perguntas habituais”, indica.

E descreve a dádiva: “Foi bastante rápida e sem queixas. Estive deitado durante todo o tempo, cerca de 10 minutos. Não senti nada de especial, além da picada da agulha, semelhante à que sentimos quando colhemos sangue para análises.”

Afirmando que vai continuar a dar sangue, Miguel Bigotte Vieira lembra que se trata de um procedimento “seguro, rápido e simples” e que é uma “forma eficaz de salvar vidas”.

Dar sangue é seguro. Faça a sua dádiva no SSMT do HFF nos dias úteis, entre as 8h30 e as 15h00, às terças-feiras até às 17h00. Aconselhamos a que faça o agendamento prévio da dádiva de sangue, através do número 214348279, para permitir distanciamento social e cumprimento de todas as regras de segurança.