“Dora-Sin Brinca com o Prato” – projeto inovador no Serviço de Pediatria do HFF

28 Setembro, 2021

“Dora-Sin Brinca com o Prato”. É este o sugestivo nome do novo e inovador projeto do Serviço de Pediatria e da Unidade de Nutrição e Dietética do Hospital Professor Doutor Fernando Fonseca (HFF).

Este projeto tem lugar durante as principais refeições – almoço e jantar – no internamento do Serviço de Pediatria. Este projeto contou com o apoio a AMASIN – Associação dos Amigos e Utentes do Hospital Professor Doutor Fernando Fonseca, que financiou a aquisição dos pratos.
A refeição passou assim a ser apresentada aos nossos pequenos utentes de forma criativa e apelativa, recorrendo a pratos com caras animadas, preparados e decorados pelas auxiliares de alimentação e dietética e posteriormente distribuídos a todas as crianças internadas com idade pré-escolar, entre os três e os cinco anos. O empratamento destas refeições tem sempre em consideração a tipologia de dieta prescrita, bem como as alergias alimentares.

Sendo o brincar uma atividade fundamental na formação da criança e no seu desenvolvimento físico, emocional e intelectual, e reconhecendo que existe uma maior resistência ao consumo de determinados alimentos, como fruta e hortícolas, este projeto pretende tornar o momento da refeição num ato divertido, agradável e apelativo, recorrendo a pratos com caras animadas. Este tipo de pratos permite expor a criança em idade pré-escolar a alimentos de uma forma divertida e criativa, estimulando-a e incentivando-a a querer provar e ingerir alimentos saudáveis.

Este é um mais dos inúmeros programas de humanização dos cuidados de saúde da Estrela “Dora-Sin”, a mascote do serviço de Pediatria do HFF, e tem como objetivos principais:
• melhorar a apresentação das refeições no Serviço de Pediatria;
• promover uma alimentação saudável na criança em idade pré-escolar;
• contribuir para a prevenção da obesidade infantil e doenças cardiovasculares.

Prestar cuidados de saúde de qualidade em Pediatria está muito além da correta abordagem da doença que motivou o internamento. Tem por base uma abordagem centrada na criança/família, tendo em consideração os contextos familiares, económicos, sociais e culturais, visando a parceria de cuidados.
Este cuidar tem por objetivo minimizar o impacto da hospitalização, no entanto é também essencial apostar na vertente educativa e na educação para a saúde. Assim, a equipa multidisciplinar desempenha um papel preponderante e a hospitalização proporciona uma oportunidade para o desenvolvimento de medidas de promoção de saúde, indispensáveis a um pleno crescimento e desenvolvimento infantil.

Também a pandemia COVID-19 trouxe vários desafios às crianças e suas famílias. O confinamento reduziu drasticamente a atividade física e acentuou problemas já conhecidos, como a incidência crescente da obesidade infantil.
Na base deste problema está um desvio ao padrão alimentar adequado às necessidades da criança, com uma reduzida ingesta de alimentos como frutas e vegetais. Esta problemática já se encontra amplamente documentada e são diversos os estudos que demonstram um consumo insuficiente de fruta e hortícolas em idade pré-escolar.

No HFF a alimentação das crianças internadas segue as indicações da Direção Geral da Saúde no Manual de Dietas Hospitalares (2018) que tem como objetivo uniformizar esta temática a nível nacional. As refeições são confecionadas e empratadas na cozinha do hospital, respeitando a tipologia de dieta prescrita.

Esta iniciativa está a ter um bom acolhimento. Veja-se o caso do nosso pequeno utente Áureo Ribeiro, que consta nesta notícia, e que afirmava não gostar de brócolos. No entanto acabou por deixar o prato limpinho, sem vestígio de qualquer brócolo. Vivam os brócolos e os pratos animados milagrosos!