“26 anos, 26 testemunhos” – Conceição Sousa

28 Outubro, 2021

“São 26 anos, mas passaram muito rapidamente”. É assim, com muita alegria e entusiasmo, e embalada pelos muitos projetos que se sucedem no período pós-pandemia, que Conceição Sousa, Nutricionista e coordenadora da Unidade de Nutrição e Dietética do Hospital Professor Doutor Fernando Fonseca (HFF), reconhece que o tempo passa a correr quando se tem o privilégio de desempenhar uma profissão da qual se gosta, junto de uma equipa coesa que se transformou numa família nos últimos 26 anos.

Mas, no caso de Conceição Sousa, a família “de sangue” também a acompanhou nestes 26 anos dedicados ao HFF. Confidencia-nos: “Eu e o meu marido, nunca fizemos nada para trabalhar juntos, mas a verdade é que sempre fomos selecionados e partilhámos os mesmos locais de trabalho, desde que saímos da Universidade. Ambos aceitámos o convite para a fundação do HFF, mas a instituição onde trabalhávamos só deixou sair um. Vim eu!”, lembra. Em 1994, aceitou o desafio de vir organizar o futuro serviço de Alimentação e Dietética do HFF.

“Tive o privilégio de participar na abertura de dois grandes hospitais!”, recorda a responsável. Conceição Sousa refere-se ao Hospital São Francisco Xavier seu hospital de origem, do qual nunca pensou sair por tanto gostar, mas o seu percurso profissional iniciou-se antes, tendo estado ao serviço do IPO – Instituto Português de Oncologia de Lisboa Francisco Gentil, em outubro de 1985, na dura, mas compensadora área de Pediatria Oncológica, contando-se ainda uma breve passagem pela Maternidade Alfredo da Costa.

Considerando que a mais-valia de uma instituição são as pessoas, Conceição Sousa, lembra a sua primeira missão ao serviço do HFF – selecionar os profissionais e construir a sua equipa. “Os Nutricionistas fundadores e algumas auxiliares de alimentação e Dietética estão comigo no serviço, há 26 anos”, partilha, com orgulho, acrescentando: “A primeira grande conquista do Serviço foi conseguirmos uma equipa de auxiliares diferenciada e exclusivamente dedicada à alimentação, inspirada no modelo implementado no Hospital S. Francisco Xavier, uma prática muito inovadora, centrada no utente, e que ainda hoje se mantém. Deste grupo de auxiliares, muitas estudaram e continuaram o seu percurso profissional na instituição e são hoje assistentes administrativas nos vários serviços do Hospital, o que também é muito gratificante”, admite.

Conceição Sousa explica com maior precisão a dimensão que esse desafio impôs: “Ninguém da equipa de Nutricionistas tinha experiência hospitalar! E nós queríamos ser os primeiros, fazer diferente e fazer melhor”. A responsável considera que esta inexperiência acabou por fomentar o espírito de entreajuda: “Aprendemos todos ao mesmo tempo. Adotámos uma forma de ser e de estar que permitiu desenvolver e consolidar as nossas competências com humanização e espírito de missão, valores partilhados também pelos elementos mais recentes da equipa.  Crescemos juntos!” sintetiza.

Passaram-se 26 anos, mas inicialmente Conceição Sousa só planeava ficar dois meses no HFF: “Naquela altura, devido à alteração do contrato de gestão para aquela que viria a ser a primeira parceria público-privada da saúde, muitos, por receio desse modelo inovador, viraram costas ao novo desafio da abertura do HFF.  A minha passagem pelo HFF seria, por esse motivo, apenas por dois meses, o tempo necessário para abrir o serviço.  Quando saísse a Comissão Instaladora, regressaria Hospital de São Francisco Xavier…”, recorda. No entanto, “no final de 1995, ainda cá estava, altura em que fui convidada a continuar as minhas funções em regime de comissão extraordinária de serviço. E aqui permaneço passados estes anos!”, resume.

“Foi tudo muito intenso ao longo dos 26 anos que agora comemoramos!”, diz-nos Conceição Sousa. “Praticamente a seguir à inauguração do Hospital, começámos a trabalhar na certificação da instituição pelo King´s Fund, que exigiu um grande esforço de equipa e um trabalho que nunca tinha sido feito no nosso país. Paralelamente, exercia ainda atividade de docente na licenciatura em Dietética”. “Estávamos exaustos, mas havia um compromisso de todos para cumprirmos as metas e os objetivos”, diz-nos, sem hesitar fazer o paralelismo: “Voltei a sentir o mesmo durante a pandemia. Estávamos a viver uma situação nova, desconhecida e angustiante mas, estivemos sempre juntos”, partilha.

Durante o último ano e meio de pandemia, Conceição Sousa sentiu a importância do acompanhamento espiritual e psicológico nos momentos difíceis que as instituições do Serviço Nacional de Saúde e os seus profissionais de saúde enfrentaram e, por isso, não esquece, também, o papel que teve na instituição o primeiro Padre do HFF: o Padre Duarte, falecido em 2000.

O seu destino e o do Padre Duarte cruzaram-se em todos os Hospitais por onde passou – e, confessa: Só não celebrou o nosso casamento porque nessa data estava de férias”. É, pois, com saudade, que recorda o religioso.  Mulher de fé, Conceição Sousa explica que independentemente da religião que se tenha ou não, num Hospital, para além de haver alegria, sente-se muito o peso da doença, da solidão, da saudade da família e dos amigos, o medo do desconhecido e da morte. “Não foi por acaso que o Hospital manteve uma linha aberta para prestar apoio psicológico aos profissionais durante a pandemia”, revela.  “Somos um todo: é fundamental a saúde do corpo, do espírito e da alma. Para conservarmos a nossa sanidade mental, há que manter a esperança!”, diz-nos.

É impossível entrevistarmos a Nutricionista responsável pela Nutrição do HFF sem lhe perguntarmos qual foi a refeição mais memorável dos últimos 26 anos dentro da instituição.

Teremos que recuar até ao primeiro Natal no Hospital: “Eu estava grávida e percorria os longos corredores na azáfama dos preparativos. Tínhamos uma árvore de Natal faustosa, decorada por profissionais de várias áreas. Congregámos nessa árvore vontades e um compromisso comum. Juntámos todos os doentes internados numa sala do Serviço de Psiquiatria e fizemos o almoço de Natal”, lembra, abrindo um pouco mais o álbum das suas memórias para um episódio memorável: “Quando a Senhora Enfermeira-Diretora, Enfermeira Silva Vieira, chegou à sala exclamou: Isto não é o Hotel Ritz!”, partilha Conceição Sousa, divertida. E recorda: “Ao longo dos anos, assistimos à montagem e decoração da árvore de Natal no átrio principal. Faz parte da nossa memória coletiva!”.

Com 36 anos de carreira celebrados no início de outubro, Conceição Sousa não tem planos para abrandar: “Nos últimos anos, a emergência da profissão de Nutricionista, com produção legislativa da organização dos Serviços de Nutrição no SNS, trouxe novos desafios, dos quais se destaca a implementação da identificação de risco nutricional a todos os doentes internados”, explica, rematando: “O meu trabalho é muito gratificante e transversal a todo o Hospital. Inseridos que estamos nas equipas multidisciplinares, temos cada vez mais projetos”. O agravamento da obesidade e obesidade infantil com a pandemia, a par da diabetes e da doença oncológica, são temas prioritários, tal como a abertura do novo Hospital de Sintra, revela Conceição Sousa.

“Passados estes anos, sou uma mulher tranquila de bem com a vida. Todo este percurso fez-me crescer como profissional e como pessoa. Acredito que todos os profissionais fundadores sentirão o mesmo que eu. Muita paciência, resiliência e dedicação, muitos fases boas e outras nem tanto. Estamos preparados para o que vier!”, conclui.

Este é mais um importante e intimista testemunho da rúbrica “26 anos – 26 testemunhos. A partir do mote do 26.º aniversário do HFF, este é um tributo a todos quantos trabalham no HFF desde a primeira hora.

Fotografias de arquivo.