Hoje assinala-se o Dia Mundial da Doença de Alzheimer

21 Setembro, 2022

A demência é um problema de saúde pública com uma prevalência em Portugal superior a 200.000 pessoas (aproximadamente 2% da população). Na última década, a comunidade científica melhorou a capacidade de diagnóstico numa fase mais precoce da doença, o que permite um maior potencial de resposta dos doentes às diferentes intervenções existentes.

O Hospital Professor Doutor Fernando Fonseca (HFF) com uma área populacional extensa, com fatores de risco reconhecidos para o desenvolvimento de demência (idade avançada, fatores de risco vascular, baixa literacia) apresenta um número progressivamente crescente de doentes com demência.

Na tentativa de melhorar a assistência e o apoio de doentes e familiares, foram implementadas várias iniciativas pela Unidade de Neuropsicologia do Departamento de Saúde Mental do HFF, em parceria com instituições como a Alzheimer Portugal e a Universidade Católica.

“Os programas de estimulação cognitiva em grupo, iniciaram-se antes do período pandémico. Consistiam em sessões temáticas semanais de grupo, constituídas por 8-10 pessoas, e dinamizadas por dois facilitadores, com uma duração aproximada de 60 minutos em cada sessão. No período de implementação, foram atingidos os objetivos propostos na interação social, a funcionalidade e qualidade de vida e a cognição global, de acordo com a análise dos dados antes e depois da intervenção. Com os resultados desta primeira experiência, pretendem-se iniciar novos programas de intervenção em grupo proximamente, de preferência com a integração dos cuidados de saúde primários” refere AnValverde, neurologista e Diretora Clínica do HFF.

E acrescenta: “Existem ainda necessidades por cobrir na nossa área de influência para pessoas com demência moderada a grave, em que as intervenções multi-componente (atividade física, terapia multissensorial, terapia de reminiscência), já se mostraram eficazes em outras experiências nacionais. Os financiamentos europeus ou nacionais de investigação e o estabelecimento de parcerias com outras instituições ou com as autarquias dos concelhos que o hospital abrange, permitirão fazer a diferença na qualidade de vida das pessoas com demência e das suas famílias”.