Hospital Professor Doutor Fernando Fonseca cria Unidade Clínica Integrada de Ortogeriatria

24 Março, 2022

O Hospital Professor Doutor Fernando Fonseca (HFF) acaba de criar uma Unidade de Ortogeriatria que irá prestar cuidados de saúde de uma forma multidimensional e interdisciplinar, aos doentes maiores de 60 anos com fraturas de fragilidade, sobretudo ao nível da extremidade proximal do fémur.

“A nossa missão é melhorar a prestação de cuidados de saúde diferenciados aos doentes que recorrem ao hospital com uma fratura de fragilidade, oferecendo uma abordagem multidisciplinar focada na promoção de saúde e otimização da autonomia e qualidade de vida. Pretendemos também assegurar cuidados com padrões de elevado desempenho técnico-científico em tempo útil e articulados com as restantes unidades de saúde da região, promovendo o trabalho multidisciplinar e o desenvolvimento profissional, num projeto com eficiente gestão de recursos”, explica Carla Vera-Cruz, médica Fisiatra, que dinamizou a concretização deste projeto com Nuno Correia Mendonça, Ortopedista.

E acrescenta: “Esta Unidade vai trabalhar em parceria com as unidades de cuidados de saúde primários, com foco na reabilitação funcional, prevenção secundária de fraturas e quedas, nos doentes após a alta. Este modelo de gestão partilhada permite alcançar os melhores resultados, com impacto positivo no tempo decorrido até à cirurgia, na duração do internamento, taxa de morbilidade e mortalidade, assim como na redução dos custos em saúde”.

O projeto da Unidade Clínica Integrada de Ortogeriatria foi criado e implementado por uma equipa multidisciplinar, composta por ortopedistas (Nuno Correia Mendonça, Catarina Blamey e Pedro Beckert), internistas (Emília Leite e Sandra Felisberto), anestesiologista (Nélson Santos), fisiatra (Carla Vera-Cruz), fisioterapeuta (Rosário Madeira), enfermeiros (Mara Gonçalves, Tânia Miranda, Elisabete Isidoro e Tiago Maurício) e assistente social (Teresa Delicado).

 As fraturas de fragilidade no idoso, onde se incluem as da anca, não são eventos isolados. Surgem geralmente num contexto de doença médica aguda, comorbilidades, incapacidade e fragilidade estando frequentemente associada a síndromes geriátricas. Estes doentes apresentam um risco acrescido de quedas e fraturas futuras, passam por um período perioperatório desafiante e têm risco de descompensação de outras doenças médicas.