Estudo publicado em revista internacional

25 Março, 2022

O estudo “Determinação post-mortem do ferro hepático e medular em hemodiálise: estudo cohort prospetivo” realizado no Hospital Professor Doutor Fernando Fonseca (HFF), no âmbito do Serviço de Nefrologia, Anatomia Patológica e Patologia Clínica, foi publicado na conceituada revista EbioMedicine, The Lancet.

A sobrecarga de ferro em doentes sob hemodiálise foi documentada em antigos estudos de autópsia, verificando-se que apesar de haver importante deposição de ferro no fígado, este estava ausente da medula óssea. Estes estudos foram realizados antes da introdução dos agentes estimuladores da eritropoiese (EE’s), quando para tratar a anemia era frequente a administração de transfusões de sangue e grandes quantidades de ferro endovenoso.

Dado que a biopsia hepática e o mielograma são técnicas invasivas não isentas de risco, a equipa de investigação propôs-se a realizar o 1º estudo post-mortem na era pós-EE’s a doentes em hemodiálise.

Os resultados revelaram que nenhum dos 21 doentes incluídos tinha deficiência de ferro na medula e que a maioria tinha excesso de ferro no fígado (57-62%) e na medula óssea (45%).

Estudos futuros deverão tentar desvendar os mecanismos por detrás do distúrbio do metabolismo do ferro na doença renal crónica e procurar formas de ultrapassar o bloqueio à utilização do ferro na eritropoiese.

Para conhecer o estudo: https://doi.org/10.1016/j.ebiom.2022.103921

Os autores do estudo são: Patrícia Carrilho e Anna Lima, do Serviço de Nefrologia do HFF; Pedro Fidalgo, do Serviço de Nefrologia do Centro Hospitalar Lisboa Ocidental; Elisa Soares, da Faculdade de Farmácia Universidade do Porto; Rita Manso, do Serviço de Anatomia Patológica do HFF, e Alexandra Santos e Lucinda Nóbrega do Serviço de Patologia Clínica do HFF.