HFF inicia realização de consultas de PrEP: Profilaxia Pré-Exposição da Infeção por VIH

8 Novembro, 2021

O Serviço de Infeciologia do Hospital Professor Doutor Fernando Fonseca (HFF) inicia hoje a realização de consultas de Profilaxia Pré-exposição da Infeção por VIH (PrEP). Esta nova consulta do HFF constitui uma medida adicional na prevenção da transmissão de VIH nas populações mais vulneráveis.

A redução da taxa de transmissão de VIH com a utilização da PrEP na população em risco acrescido de infeção VIH é uma estratégia validada por diversos estudos clínicos. Nesse sentido, a DGS em Portugal incorporou o acesso à PrEP na sua estratégia nacional de combate à infeção por VIH, constituindo-se como uma das abordagens a disponibilizar aos cidadãos.

Para Patrícia Pacheco, diretora do serviço de infeciologia do HFF, “a disponibilização desta consulta é um contributo adicional para a redução de novos casos de infeção VIH a nível local/regional. A estratégia de prevenção da Infeção VIH é ampla, incluindo educação para a saúde, uso de preservativo, acesso a programas de redução de danos e mais recentemente o acesso e disponibilização de tratamento enquanto medida de prevenção”. De acordo com esta responsável, “esta nova consulta, que vem colmatar uma carência na nossa área, que já estava identificada, mas devido aos constrangimentos de recursos humanos e a pandemia, só agora pôde ser concretizada.”

A consulta PrEP do HFF irá funcionar em consonância com as orientações definidas pelo Ministério da Saúde, nomeadamente as orientações específicas da Direção-Geral da Saúde. Devem ser referenciadas para esta consulta de especialidade hospitalar as pessoas com risco acrescido de aquisição de infeção por VIH:

  • Pessoas que nos últimos seis meses tiveram relações sexuais sem uso consistente de preservativo com parceiros sexuais com estatuto serológico para VIH desconhecido.
  • Pessoas que nos últimos seis meses tiveram diagnóstico de infeção sexualmente transmissível;
  • Pessoas cujo parceiro(a) está infetado por VIH, sem acompanhamento médico ou sem terapêutica antirretroviral ou sem supressão virológica e que não utilizem consistentemente preservativo;
  • Pessoas que referem uso de substâncias psicoativas durante as relações sexuais;
  • Utilizadores de drogas injetadas que partilham agulhas, seringas ou material para preparação das mesmas.

A referenciação para a consulta PrEP pode ser feita através dos cuidados de saúde primários ou de Organizações não Governamentais que operam na área do VIH, bem como de outros serviços do HFF. Adicionalmente, os próprios utentes podem solicitar o acesso a esta consulta, podendo fazê-lo através do seguinte endereço de mail: alertcth@hff.min-saude.pt

Na consulta de PrEP será avaliada a existência de condições clínicas para acesso à participação no programa de profilaxia. Além da consulta médica, o HFF assegurará a disponibilização gratuita dos medicamentos aprovados para serem utilizados em contexto da PrEP.

“A PrEP deve ser sempre encarada como fazendo parte de uma estratégia combinada de prevenção da infeção por VIH e nunca como uma medida isolada”, indica Patrícia Pacheco. “Importa também consciencializar a população para que a PrEP apenas protege as pessoas de contraírem a infeção por VIH, não conferindo proteção em relação a outras infeções sexualmente transmissíveis”, alerta a diretora do Serviço de Infeciologia do HFF.

A utilização da PrEP conduz a uma redução de até 90 % no risco de aquisição de infeção VIH de acordo com a literatura internacional. Pelo seu impacte social e económico, a profilaxia pré-exposição constitui uma das abordagens a disponibilizar aos cidadãos, de forma a contribuir para a eliminação da infeção VIH em Portugal.