HFF recupera listas de espera em cirurgia

7 Dezembro, 2020

Cirurgiões do Hospital Professor Doutor Fernando Fonseca (HFF) estão a fazer dez cirurgias de ambulatório por dia numa unidade de saúde privada para recuperar as listas de espera cirúrgicas. Foram contratualizadas 625 intervenções até ao final do ano, tendo já sido realizadas cerca de metade desse número.

Esta iniciativa surge na sequência da necessidade em adaptar a atividade assistencial do Hospital à resposta à pandemia de COVID-19. Efetivamente, foi necessário afetar profissionais de saúde às enfermarias dedicadas em exclusivo aos doentes infetados com esta doença, bem como aumentar a capacidade de resposta em Unidades de Cuidados Intensivos afetas unicamente a estes doentes.

Deste modo, parte das cirurgias programadas não puderam ser realizadas. Ainda assim, duas salas do bloco operatório do HFF mantiveram-se sempre em funcionamento para as cirurgias oncológicas, bem como uma sala para doentes de trauma e uma outra sala para toda a cirurgia de urgência.

“Esta recuperação das cirurgias que não puderam ser realizadas devido à pandemia é um objetivo muito importante, pois servimos uma população de cerca de 550 mil pessoas que continuam a necessitar de resposta na área cirúrgica”, refere Alexandra Ferreira, vogal do Conselho de Administração do HFF. Neste sentido, o hospital escolheu para realizar as cirurgias no exterior as especialidades com maior lista de espera, nomeadamente cirurgia geral e otorrino, bem como as que possam ser feitas em ambulatório.

“Aquando da elaboração do plano de contingência para a COVID-19 e plano de inverno, o HFF definiu como prioritário aumentar a resposta na área cirúrgica”, indica a referida responsável. Cirurgiões do hospital realizam diariamente cinco cirurgias de manhã e outras tantas no período da tarde, cedendo a unidade provada contratada as instalações e os recursos de enfermagem e anestesia.

Esta iniciativa deverá ter continuidade em 2021, estando já em preparação um caderno de encargos para contratação de cirurgia de ambulatório com pernoita e cirurgias com internamento para dar resposta à atividade assistencial não urgente, uma vez que as intervenções prioritárias continuarão a ser realizadas no HFF. “Esta iniciativa tem sido muito bem acolhidas pelos doentes, que demonstram grande satisfação por a Instituição continuar a dar resposta às suas necessidades mesmo neste contexto pandémico que afetou a normalidade na área da saúde e nas vidas de todos nós”, conclui Alexandra Ferreira.