Inauguradas as instalações da Área Dedicada a Doentes Respiratórios

14 Dezembro, 2020

Foi hoje inaugurada a nova unidade de urgência dedicada a doentes e suspeitos de COVID-19 do Hospital Professor Doutor Fernando Fonseca (HFF). A Área Dedicada a Doentes Respiratórios do Serviço de Urgência Geral do HFF foi inaugurada pela ministra da Saúde, Marta Temido, e pelos presidentes das Câmara Municipais da Amadora, Carla Tavares, e de Sintra, Basílio Horta.

Com uma área de 750 metros quadrados, a nova unidade corresponde a um investimento de cerca de 1,2 milhões de euros, integralmente assegurado pelos municípios da Amadora e de Sintra. O HFF assegurou o investimento de equipamento deste serviço, num montante orçado em 500 mil euros.

Esta nova unidade é uma extensão do Serviço de Urgência Geral do HFF e vem aumentar de forma muito significativa a capacidade de resposta do Hospital à população dos concelhos da Amadora e de Sintra no combate à pandemia de COVID-19. Este investimento estruturante em contexto de aceleração da pandemia nos concelhos servidos pelo HFF permite criar dois circuitos separados, com reorganização dos espaços e dos recursos humanos afetos ao ambulatório do serviço de urgência, através da criação de duas áreas ambulatórias em locais distintos (uma área para doentes sem suspeita de infeção, e outra área para doentes COVID-19).

A nova unidade da urgência disponibiliza, em ambulatório, uma sala de reanimação, uma sala de triagem, uma sala de espera, dez boxes para observação e monitorização de doentes, seis gabinetes de observação médica e uma sala de RX. Cumulativamente, a nova unidade disponibiliza 16 boxes para internamento de pacientes e dois quartos de isolamento.

A ministra da saúde, Marta Temido, fez questão de iniciar a sua intervenção na cerimónia de inauguração com uma “saudação especial a todos os profissionais do Serviço Nacional de Saúde (SNS), aqui representados pelos profissionais de saúde do HFF”. A governante destacou “a capacidade extraordinária que governo e autarquias têm tido de trabalhar em conjunto, o que fica como uma das lições que ficará e que jamais poderá ser apagada desta gestão da pandemia”.

Outro aspeto destacado por Marta Temido foi “a resiliência do SNS, adaptando-se, recuperando e encontrando respostas específicas para os doentes COVID e não-COVID”. Essa resiliência é também materializada, nas palavras da ministra “com estas instalações hoje inauguradas, que vêm permitir das respostas específicas à pandemia ao mesmo tempo que asseguram resposta à sua atividade programada”.

A presidente da Câmara Municipal da Amadora, Carla Tavares, frisou que “em momentos difíceis como este que todos enfrentamos, o importante é termos a capacidade de perceber o que é importante e complementar esforços para conseguir dar resposta às necessidades das pessoas”. Nesse sentido, a autarquia da Amadora “estará sempre disponível, como tem estado até aqui, para contribuir para que sejam criadas melhores condições de trabalho para os profissionais de saúde e melhor resposta aos utentes do HFF”, reforçou a autarca amadorense.

Também o presidente da Câmara Municipal de Sintra, Basílio Horta, fez questão de referir este trabalho complementar entre as autarquias e o governo, “o que tem permitido encontrar os meios para responder às necessidades na área da saúde, a qual é uma área prioritária para a autarquia de Sintra”.

“Estas novas instalações são um símbolo muito importante para nós, pois são um gesto de solidariedade. Em momentos tão difíceis como aquele que estamos a passar, a solidariedade é a nossa palavra chave e o alicerce da nossa ação”, disse Basílio Horta, terminando a sua intervenção com “uma palavra de reconhecimento aos profissionais do HFF, que com risco para a sua própria saúde, dão resposta aos doentes neste momento tão delicado”.

O presidente do Conselho de Administração do HFF, Marco Ferreira, destacou, por sua vez, que “com a concretização deste projeto conseguiremos prestar melhores cuidados aos nossos utentes, neste contexto pandémico”. O Hospital passa a dispor de “melhores condições para atender e tratar doentes respiratórios, incluindo os doentes de COVID-19, mas também os restantes utentes que recorrem ao nosso serviço de urgência”, referiu o responsável do HFF.

“Aumentaremos também as condições de segurança para doentes e profissionais com as instalações de que a partir de hoje dispomos” acrescentou ainda. Os serviços de urgência do HFF são procurados diariamente por cerca de 700 pessoas, pelo que “os nossos utentes e as largas dezenas de profissionais que neles diariamente trabalham, sem dúvida merecem a melhoria de funcionamento que estas instalações vêm proporcionar”, referiu Marco Ferreira.

A obra de construção destas instalações, a cargo da empresa MBW – Modular Builders Worldwide,  foi concretizada em menos de dois meses. Após a inauguração, tiveram de imediato início os preparativos para acolhimento e tratamento dos primeiros doentes, o que deverá acontecer já nas próximas horas.